Janelas de vidro

Janelas de vidro

Fantasias na representação da saudosa vontade do amarrotar lençóis de linho enquanto a vida se escorre em lágrimas pela vidraça, nessa luz ténue que escapa por entre as cinzentas nuvens carregadas de desespero, inunda o ar saturado do quarto vazio…

Há janelas de vidro fechadas ao mundo na impossibilidade de um abraço dado, há portas escancaradas à espera de quem não chega, há estradas vazias que não levam a lado nenhum, e um amontoado de casas decadentes vazias de gente…

E ontem? Ontem foi quem não partiu, hoje vivo, amanhã esperança, jazem vazios os copos de tinto, uma marca de batom seco, um cigarro mal fumado, uma cama desfeita, e um olhar vago, fixo no horizonte por entre os vidros de uma janela…

Alberto Cuddel

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: