Muito Obrigado!

Muito obrigado a todos os que ao longo destes anos me seguiram nesta aventura da escrita, depois de milhares de poemas escritos e partilhados aqui no blog e nas mais variadas redes sociais dou por terminada esta aventura… durante estes anos fui surpreendido por muitas mensagens que me foram deixando, por muitas partilhas e por muitas amizades que se foram criando. Agora fica aqui registada essa memória, esses poemas e escritos, para que não se percam.

Um enorme bem haja a cada um de vós… Não é um Adeus pois os poetas não morrem mas sim um até sempre.

António Alberto Teixeira de Sousa

Palavras nos dedos…

Palavras nos dedos…

Nascem-me as tuas palavras
Assim sem pedir, na pontas dos dedos…

Na húmida ilusão que me percorre o corpo
Entras em mim, na alma na mente, querer…

Quem és tu poeta? Que me revolves as entranhas
Que me soltas a lívido, que me excitas
Que me fazer querer-te
A qualquer hora do dia?

Nascem-me desejos quentes
De lábios carnudos
Que me declamam nos dedos
Que me escancaram a tua posse
As palavras que inscreves
Introduzo-as com os dedos
Remexendo, rimando a trote,
Entrando e saindo das estrofes,
Lambendo, virando a página…
Até que o prazer me corroa…

Tiago Paixão

No profundo silêncio da tua alma sussurras “quero”

No profundo silêncio da tua alma sussurras “quero”

Na solidão que nos damos, silêncio
Apenas duas respirações cortadas por um beijo
Suave, quente, que te nasce na nuca
Um morder de lábios, aprisionando o desejo…

No toque toda a destreza da perfeição
A brisa das vestes que caem subtilmente
Uma a uma, lenta e desejavelmente
Cada uma sincronizadamente beijada!

Nudez da vontade, silêncio amordaçado
Mãos que te contornam a aura, cada forma
Cada curva, cada recta, cada arrepio…

No apartar de cada verso, a hipérbole do desejo
Um sopro suave, um toque dos lábios
O calor da língua, metáforas circulares
Encontro com o centro do querer,
Cada virgula, na pressa de um ponto final…

Firme propósito assim desejas
Nas entre linhas dos versos, em cada sinapse
O fluir profundo da virilidade desejada
Movimento brando entre estrofes
Apressados versos, desenhado nos lábios
Ainda apertados, a ânsia profunda de quebrar
Um silêncio apertado na alma num profundo gemido
Simmmm…

Tiago Paixão

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: