Poema do dia 19/09/2018

Poema do dia 19/09/2018

… versos inscritos em prata
Oxidados pelo tempo que foi
Nesta viagem, quedas,
Um salto em movimento,
Lambendo as feridas, a um canto
Animal dócil, amestrado
Adoptado por novo dono!

Entre promessas de solidão
Pirilampos em noite fingida,
Que se rasguem todos ontens
Em vida coxa presa ao depois,
Há carros da estrada, nas duas direcções!

Castelos de areia seca que se desmoronam,
Flores que desabrocham no orvalho da manhã
O sol tímido que nasce, uma lua que se deita
Um novo dia, o renascer
De uma vida desfeita!

Um sorriso nos lábios
Um olhar o amanhã…

Alberto Cuddel
19/09/2018
Alberto Cuddel

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: