Soneto de ti

Soneto de ti

Não existirá em mim nada além da morte
Nem dias, nem noites, quedas ou sorte
Talvez por isso escreva compulsivamente
Enquanto ainda amado ser em mim vivente

A vida que na caneta corre já esvanecida
Enaltece sentires devassos, escrita forte
Correntes quentes no gélido mar do norte
Folha branca tantas vezes incompreendida

Barcos ocos navegam à deriva nos versos:
Mulheres do mundo em amores dispersos,
Coração alheio com que poeticamente minto!

Escreveria assim um soneto em si puro,
Sendo de ti um quente e desejo duro,
O amor doente que em mim de ti sinto!

Alberto Cuddel
Poemas Com Alma – Edição de Autores – 07/2017 – ISBN – 978-989-691-938-1

Queria tanto acreditar…

Queria tanto acreditar…

Palavra que falsos pacifistas repudiam
Mas às vezes eu sinto,
Um sentimento que me corre na alma
Mas às vezes eu sinto,
Dentro de mim, pronto para explodir
Frases e letras impronunciáveis…

Nasci fora do tempo
Num tempo a que não pertenço
Num tempo sem palavra
Sem honra, sem valor
Nasci no tempo do “EU”…

Queria tanto acreditar
Não me refiro actos de “amor”,
Sentidos apenas nos corpos
Mas no antónimo de ódio
Sinónimo de bondade, de caridade
De atenção de disponibilidade
Mas o Homem decepciona-me!

A revolta?
Não lembro bem quando começou
Mas há muito tempo ela está comigo
E, no entanto, quero crer
Nesse antónimo do ódio

Alberto Cuddel
Poemas Com Alma – Edição de Autores – 07/2017 – ISBN – 978-989-691-938-1

Semeador de palavras

Semeador de palavras

Semeava palavras noite escura,
Jardim desalinhado sempre dura,
As que morrem essas irão florir,
As outras, cantarão meu o sentir,
Chuva que ainda te brota do olhar,
Triste sofrer, triste dor de Amar,
Cadáveres de palavras mortas
Parto difícil na luz de novo dia,
Sonhos, novas ideias supostas,
Ditongos, palavras e nova vida!

Plantas-me em ti, sopro de saudade
Palavras dispersas cantam verdade
Quimeras e pedras, arrancadas do chão
Encontras aqui semeado no coração
Jardim ressuscitado a cada sorriso
Asas que batem na tua liberdade!

Alberto Cuddel
Poemas Com Alma – Edição de Autores – 07/2017 – ISBN – 978-989-691-938-1

Amor Imortal

Amor Imortal

Não me custaria arrastar-me pela vida
Na palidez do rosto, no gélido sangue
Pelo amargo dos teus lábios, e os beijos
Com a lua iluminando-te as formas rosas
Ao chamamento, -vou, sou, pertenço
Amantes eternos, mesmo que o coração
Se imobilize nas tuas mãos, com a morte
Escondendo a nudez da tua alma, e o sangue
Deslizando na lâmina fria do ciúme,
– Pertenço-te apenas, na lucidez entorpecida
Do desejo animalmente humano,
Órfã dos pudores morais, de uma alma
Trajando o luto, da perda constante
De um amor Imortal!

Alberto Cuddel
Poemas Com Alma – Edição de Autores – 07/2017 – ISBN – 978-989-691-938-1

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: