Somatório

Somatório

Somamos desejos, sonhos, anseios
Depositamos esperanças devaneios
Entregamos o que não fomos
Damos tudo o que ainda somos

Projetamos,
Idealizamos
Realizamos
Sonhamos
Concretizamos
Amamos

Individualmente
Apenas tu
Não copia
Não espelho
Apenas tu
Único e genuíno
Carregamos-te
Não de carga supérflua
Não de bugigangas
Mas de ferramentas
De pensamentos
De perseverança
De respeito
De amor

Para que olhes o horizonte
Com o teu próprio olhar!

Obrigado filho!

Alberto Cuddel

O tempo que passou

O tempo que passou

cicatrizes que me marcam a alma
a pele envelhecida, o peso do tempo
não te via assim, despido de tudo
hoje olho-te, como antes não via
antes, era eterno, agora despeço-me
sempre e a cada dia.

carregas no corpo o peso do mundo
e eu? herança da conquista
que de ti fica…
não te sabia assim, velho
sorrindo cansado
cada dia
uma vitoria
tempo arrancado ao passado…

não te via assim,
como agora te vejo…
cansado, mesmo assim
amo-te…

Alberto Cuddel

Paternidade ou a falácia dos direitos iguais

Paternidade ou a falácia dos direitos iguais

Vivo num país onde ser pai só é valido a partir das 10 semanas de gestação, a partir desse marco histórico o Homem adquire todos os deveres, sim deveres porque direitos são apenas uma miragem. O “pai” ou direi macho doador de uma parte de ADN, tem o dever de contribuir financeiramente para a criação de um novo ser humano (só em 7% dos casos de divorcio a custódia dos filhos menores é atribuída ao progenitor e por norma por desmérito ou incapacidade da mãe). Existe o direito de amamentação que assiste à mãe, mas caso ela não tenha capacidade genética para o alimentar biologicamente esse direito não é passado ao progenitor para o alimentar a biberão e assim criar laços.
Ser Pai é muito mais do que doar material genético, é uma decisão tomada a dois num mundo onde ele não tem quaisquer direitos, ser pai é ter a obrigação criar e a moral de educar. Mas cada vez mais ser pai é uma luta inglória contra um sistema matriarca onde a mulher impera, já nem falo no processo educacional onde o “pai” é olhado de lado nas reuniões escolares, ou quando figura como encarregado de educação.
Ser Pai é lutar contra todo um sistema montado para a desresponsabilização do homem, para benefício da mulher.
Ser pai é ser descriminado no local de trabalho quando avisa que ira ficar em casa por o filho estar doente (mas o teu filho não tem mãe?). É ser olhado de lado pelos colegas quando tem que ir a uma reunião da escola, com o filho(a) ao medico etc… ser pai é estar preparado para ser discriminado… Se um pai refere em publico que deu banho a um filho ou filha com 2 anos, está com sorte se não for acusado de abuso sexual de menores.
Em suma ser Pai é um acto de enorme coragem…

A de Alberto Sousa

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: