Novos olhares

Novos olhares

Nos novos olhos areados de luz
Perdes a visão da alma inquieta
Onde se formam as dores cinzentas
Na busca do entendimento de ti mesmo…

Deixei-me levar quando me deu a mão
O amor molda-nos a alma por dentro
O sofrimento parte como vivência certa
Na dor encontro o ser felicidade dada!

Na perda dos tempos em que não foste
Nesses em que não viveste por mim
Na pressa das horas que não caminhaste
Em que os dias passaram bem depressa
Em que não demos as mãos caídas
Em que não amamos por amar…
Nos dias em que não vivemos
Apenas desejava que me visses
A mim por um novo olhar…

Alberto Cuddel
10/01/2018
23:18

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: