Às vezes em dias perfeitos

Às vezes em dias perfeitos

Às vezes em dias perfeitos, apenas a tua ausência
Tolhe-me o fogo que me arde nas veias,
Pergunto-me se sente o mesmo?
Ou sequer pensas na mera existência do sentir
Que em mim dói na dormência atroz de me faltares?
Sinto-me, disformemente amputado de ti,
Faltas-me, para que eu em mim exista na plenitude!
Faltas-me,
como as flores num jardim
como a lua na noite
como um veleiro sem vento
faltas-me inclusive nos sonhos
que teimosamente mantenho
mesmo que acordado
consciente da falta
do teu perfume no meu corpo!
Chegas-me, completas-me, compões-me
Fazes-me… assim és, dor da ausência
Por eu próprio não me ter,
Pergunto-me se tu também não te tens?
Ou que quer sou em ti ausência,
Ou apenas apêndice, como um qualquer adorno
Que apenas te faz mais, mais tu?
Às vezes em dias perfeitos, perco-me
Como se perdesse, como se te perdesse
Por apenas amar com o emaranhado de pensamentos…

Alberto Cuddel®

In: Tudo o que ainda não escrevi

Poema do Dia 23/06/2018

Poema do Dia 23/06/2018

Soubessem eles o valor do tempo
E não te arrancavam de mim
Soubessem eles o nosso tempo
E te deixariam ficar assim….

Neste tempo perdido encontrado em mãos vazias, por onde nos escorre a areia dos dedos?
Relva orvalhada em leito fino, desenhando nas nuvens o futuro, quem nos falou das trovoadas? Tempo seco pardacento, dilacerando por dentro, o tempo que corre em manada, em dias silvestres…

Soubessem eles o nosso tempo
E não te arrancavam de mim
Soubessem eles o nosso tempo
Nesta estupida permanência do sim…

Alberto Cuddel
23/06/2018
10:30

Poema do dia 29-10-2017

Poema do dia 29/10/2017

Sei que sonhamos
Sonhamos o ontem e o amanhã
Sonhamos todas as noites e todos os dias
Ainda assim percorremos vagarosamente o presente
A cada ausência
A cada distancia

Os dias sucedem-se
Sucedendo-se as horas e as noites
Sucedem-se também a solidão e todo o tempo
Todo o tempo em que não te toco com a minha mão!

Nascemos assim
Distantes e ausente um do outro
Distantes, porque o tempo nos fez
O tempo nos moldou
Nesta viagem que percorremos lado a lado!

Alberto Cuddel
29/10/2017
15:00

 

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: