Lanço poemas

Lanço poemas

Em tudo o que faço e refaço.
Meus pedaços em troca de laços, dar o que em mim ainda há
Tanto sofro como choro, tanto riu como sorrio!
De que me afasto se me basto, chega! Agora basta!
Odes delirantes de alfobres, berçários de versos, reversos
Saudades…
Amores, paixões, desejos profanos, sonhos e dores…
E arde em silêncio a candeia, que me ilumina e incendeia
Chama que dança – Lua cheia – triste e amargurado poeta
Por onde arrastas teus versos, peregrinos, lançados pela janela
Ao colo de uma donzela, sofre em si abstinência do corpo
Lágrimas que lhe correm no leito, pelos tremores do desejo,
– Tudo por nada, apenas por um beijo!
Ai poema, poema, onde me levas, debruado nas noites?

Em cama de estrelas, sonho vê-las,
Palavras soltas, directas, concretas,
Rimando apenas na beleza do seu busto,
Nos versos procuro e rebusco, o sim,
O não, o amor, a paixão, ou apenas a visão
De te ver passar mais uma vez,
Lançando-te poemas para o colo!

Alberto Cuddel
Amantes da Poesia Volume II – Modocromia – 2017 – ISBN – 978-989-99754-4-6

Juramento…

Juramento…

No tempo do nada, vi sem que te olhasse,
No tempo do tudo, vi sem que me apaixonasse,
Ganhei o teu tempo, sem que me amasse!
Depositei-me no âmago da tua alma,
Entreguei-me, completo assim vivalma,
Osculei sorvendo o mel dos teus lábios,
Perscrutei o universo, li os alfarrábios,
Descobri amar em mim um outro eu,
Em mim encontrei um tu apenas meu!
Recolhi-me em mim, castrei-me, esperei,
Fiz-me em ti, sentido do celibato dado,
Nas juras gravadas, dadas, todo entreguei,
Selado, no ser, no coração, consumado!
Fielmente imune, ninfas e musas,
Rondam, revolvem as águas, naufrago?
Jamais, me deleitarei, sedutoras Nereidas,
Sedutoras irmãs de Tétis, não, antes surdo,
Fechados que foram os olhos, antes mudo!
Elevo-me no sopro do sono, -olho-te
Recordando apenas em mim,
A parte de ti que em mim carrego!

Alberto Cuddel
Amantes da Poesia Volume II – Modocromia – 2017 – ISBN – 978-989-99754-4-6

Voz que ao longe me declamas…

Voz que ao longe me declamas…

Por entre letras ditas e declamadas
Seduzes-me, como voz celeste das rimas
Imposição da voz com que me pintas a alma
Correndo, rindo, chorando, com calma,
A voz, ora quente, sussurrada, tremula
Dura, concisa, forte, grave, agitada,
Palavras lidas, no som que te brota do ser…

Recita-me longe do olhar,
Na dura escuridão em que flectes a voz,
Conceitos que viajam pelo ar,
Na virtude hertziana das ondas,
Encontras-me nas letras
Que te chegam a casa…

Perpetua-me no som…
Do calor da doce voz…

Alberto Cuddel
Amantes da Poesia Volume II – Modocromia – 2017 – ISBN – 978-989-99754-4-6

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: