Adormeço

Adormeço

Adormeço meu corpo, sol de Inverno
Espraio-me caído areia branca
Marés que me embalam os sonhos
Mar roncando, rugindo aflito
Novas de longe, corpos boiando
Inertes sem vida, da guerra fugindo
Nuvens que passam, passando em mim
Caio deitado, ficando à espera
Que tu ou eu, ou mesmo ninguém
Perguntando me erga, no mundo
Que hoje ainda me espera!

Alberto Cuddel®
17/12/2015

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: