É isto…

É isto…

…nas verdades intrínsecas que o tempo desmente
há sempre uma certeza concisa, foi verdade até prova em contrário…

a matéria simboliza,
e a dominar o que a matéria simboliza,
para fins que não são materiais
é levar a mentira a uma consciência que nos molda
as dunas não são ondas, mas movem-se pelo vento
são, portanto, não sendo o que são…

nesse parece que é, e o que realmente é sem o ser
há apenas a perceção individual de uma realidade bacoca
vivemos segundo padrões errados, porque no final,
no final nada importa…
não há grande diferença entre o bem e o mal
a não ser a perceção dos outros…

não existem ruas que sobem ou ruas que descem
existem ruas que sobem e descem…
apenas a perceção de quem sobe ou quem desce…

Poeticamente a antítese ordinária entre o dia e a noite
Essa metáfora do tempo que contem a vida
É apenas isso mesmo, um vazio inexplicável…

Alberto Cuddel
11/10/2021
20:00
Alma nova, poema esquecido – XXXIX

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: