Era uma voz singela…

Era uma voz singela…

era uma voz singela, quente e luminosa
chamava-me de amor, e eu ia…

eram fartas as gotas da chuva que corriam no riacho
eram loucas as noites no leito do nosso querer
e nascia o sol, ali, na janela ao nosso lado…

a cidade dormia debaixo dos teus pés
eras, és, uma voz singela, quente e luminosa
incendeias-me a alma, e chamas-me de amor, e eu, eu vou…

no fim de tudo, nada começou,
e nós, somos o princípio, um gemido a uma só voz…
a vida essa é o assassinato do medo que ainda em mim me prende
porque sem medo, tudo sou…
és, uma voz singela, quente e luminosa
incendeias-me a alma, e chamas-me de amor, e eu, eu vou…

Alberto Cuddel
13/02/2021 03:10
In: Entre o escárnio e o bem dizer,
Venha deus e escolha XXX

2 thoughts on “Era uma voz singela…

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: