Esquecimento

Esquecimento

A cada esquecimento
A lembrança de uma rosa que nunca floriu
Uma carta no fundo de uma gaveta empoeirada
Bâton no colarinho da camisa
Língua que se enrola nas inverdades
Omissões de uma memória tolhida
Ar que se estrangula na garganta
Corpo privado de si mesmo, da alma
Chamar um qualquer nome vezes sem conta
Sem voz, longínquo passado bem presente
Cidades esquecidas pelas ruas fora
Semanas que são meses, e um aniversario todos os dias
Convívio diário na loucura, de ser, de reconhecer
As caras, as faces, e o louco propósito de um garfo
Ou uma faca pousada num prato, sem saber se tenho fome
Se comi, se ainda vivo…
E porque vivo…

Alberto Cuddel
31/05/2017
11:44

Poema em homenagem aos cuidadores de doentes com Alzheimer

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: