Sonho dos indecisos

Sonho dos indecisos

se eu conseguisse ver
o que de mim serei um dia
que tua voz fosse magia
que me guiasse às leis eternas
que matasse em mim o sofrimento da noite eterna
sonho mares na alvorada, e ventos elísios
no voo bailado das velas erguidas
e toda a ave chora
o ninho que, uma vez, abandonou…
porquê? se às leis eternas obedece…
porque é triste uma fonte que secou?
e o sol quando anoitece?
neste sonho dos indecisos
rasgam-se as vestes da ilusão
a morte já não assiste as palavras
e a dor é uma mera ilusão do sofrimento
a vida prosseguirá, porque assim é
porque assim será,
o filho que diante da mãe se despede
por um sonho nunca idealizado…

Alberto Cuddel
09/02/2020
08:45
In: Nova poesia de um poeta velho

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: