O cheiro das coisas

O cheiro das coisas

Soube que amava
Quando senti o cheiro das coisas
Quando as largas narinas se encheram de margaridas
De rosas, de papoilas, de jasmins, de lírios
E de merda, das ovelhas que percorreram o carreiro…
Mesmo assim corria para ti…
Agora sei a que cheiram as coisas
Interessam-me os cheiros, e o teu
Às vezes cheiro-te mesmo antes de te ver…
Outras, não me incomodam os cheiros
Da tua indisposição…
Mas hoje, hoje interessam-me os cheiros,
Esses, e os outros…
Mesmo que a coisa seja a mesma
Apenas com um cheiro diferente…

Alberto Cuddel
15/06/2017

2 thoughts on “O cheiro das coisas

Add yours

  1. Linda poesia. O amor tem cor e principalmente cheiro. O cheiro é peculiar, pois agrada ao olfato de quem está amando, pouco importa se vem da flor ou merda (aqui dizemos “cheiro do curral”). O cheiro aflora os sentidos dos amores. Repito, lindo! Abraço

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: