Infusão

Infusão

repousam em água fervente
folhas secas sentir alheio
perfume das noites, madrugadas secas
estrelas cadentes em lua rubra…

mesclam-se fumos e perfumes de marés vivas
almiscarados e cloreto de sódio cetim molhado
bebem em tragos longos, vicio do filho de Júpiter
fermentam as palavras no goto, dedos perfumados…

infundem-me prazeres que rumino
mastigo versos, apuro o desejo
[arte alva desnudada]
o amor é assim, uma infusão de tudo
na eternidade da nossa comum existência…

afundam-se as palavras na mente
depois de bem maturadas,
quando tudo dão, na infusão do poema…

Alberto Cuddel

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: