Poema V

Poema V

De mãos descalças e pés nus
Sopra o vento varrendo certezas!

Crescem troncos nus espinhosos
Há calças largas sem cinto
– Percorre-me uma fome na alma
Estou cheio, repleto de dúvidas
Tenho procurado respostas onde encontro mais perguntas…

Ardem estepes ausentes e vidas que choram ausências
Neste humano amor (quem me ama, se nem mesmo eu?)

Nesta colina, que sobe, nada é certo
Cravas na parede os medos aparafusados e presos
Enjaulados gemidos presos em gargantas que se libertam…

As palmeiras morrem de pé, eu vivo entre um pé e o outro
Sem a certeza de que morri, no intervalo deste monólogo

Deixai-me, deixai-me
Deixai-me
Concedei-me um pouco do vosso silêncio
Para que eu grite…

Alberto Cuddel
25/02/2019
19:14

2 thoughts on “Poema V

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: