Divagações da procura da alma gémea…

Divagações da procura da alma gémea…

Jamais te procurarei, por entre os nomes que te deram, [nunca te chamam, eu chamo-te], seja doença ou cuidar ausente, [Um poder maternal, ou entrega de amor], eu chamo-te mulher, talvez até Maria!

Criei-te diferente, sonho crente, sendo, foste, estando, és, [não mãe, ou esposa, talvez amante, talvez amiga], no sentir que sinto, crio-te novamente, como sempre te procurei, em tudo igual, em tudo diferente, um nome, um rosto!

Invento-te, a cada nova conjugação
A cada novo verso, a cada esgano do sentir
Representação perfeita das máscaras
Que de mim invento, que de ti sinto,
Que em mim represento, que sou cá dentro!

A cada nome, uma nova forma de ser
O que efectivamente em ti és… Perfeição, saudade, mesmo aqui, ao alcance da mão!
 [mesmo assim sou novo… ou talvez não]
Talvez apenas seja o que sempre fui…
Talvez sejas o que sempre procurei
O que de mim eu encontrei…

Alberto Cuddel
15/11/2018
Castanheira do Ribatejo

3 thoughts on “Divagações da procura da alma gémea…

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: