Coisas de Deus que não lembram ao diabo

Coisas de Deus que não lembram ao diabo

Conversas soltas sobre deuses, outros demónios, que nos atazanam a vida ou meramente os dias… Os passos que vos interrompem as palavras compassadamente coxas, espiam-vos as letras plagiadas, ideias copiadas, de preguiçosas mentes, e mentes com todos os dentes que te pendem do céu…

Tudo passa ignorado, fingido sábio, (an)alfabeto retractado, um puro néscio, renascido de orelhas afinadas…

E conversam meramente sob as arcádias do tempo, nessas normas poéticas desmentidas, adulteradas da beleza solta do pensamento, onde impera a liberdade do sentir alheio ao corpo e ao tempo, por quem não tem sentimento, e goza deliberadamente despejando um sémen adulterado e estéril em folhas virgens e imaculadas.

Ainda assim soltam as conversas sob a verdade da inspiração da alma, como se ela transpirasse longamente nesse encontro apaixonado, movimentado, conciso e aflito, buscando a paixão numa erecção a cada ponto de exclamação, morrendo a cada orgasmo atingido no final de cada poema!

Não, escrever poesia não é uma mera inspiração, é um conjunto de transpirações de coisas de Deus que não lembram ao diabo!

Alberto Cuddel
09/11/2018
Marvila, Portugal

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: