Poema do dia 13/10/2018

Poema do dia 13/10/2018

Choram no leito as almofadas tua ausência
Clamo por tua alma nua contra a minha
Entre o carinho e a segurança do abraço!

Apartam-me as noites por entre madrugadas
Que me sorriem as lágrimas na chegada
Antes que o dia entardeça, morram as borboletas
Que partam todas as andorinhas, quero gritar ao vento
Toda a minha doce sorte, em saber que te amo

Sabes Maria, há dias em que não vivo
Noites em que te perco, não me entrego
Nos dias ausentes dos corpos, saudade
Horas sucessivas de nada, vazias…

Depois de tudo no tempo que nos roubamos
Inventamos todo o outro tempo
Aquele em que nos encontramos sem pressa!

Alberto Cuddel
13/10/2018
Castanheira do Ribatejo, Portugal

2 thoughts on “Poema do dia 13/10/2018

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: