Poema do dia 31/07/2018

Poema do dia 31/07/2018

Escorreguei vagarosamente para fora da folha,
Verde, viçosa, alinhada, pautada, vazia…
Escorreguei e fui poesia, fui vida…

Fui vida escorrida nas noites e calçadas
Nos prometidos sonhos de mãos nos bolsos
Na atribuição decorativa deste estado de alma
Percorro a vida em rimas de olhares,
Como uma existência de mim, neste amor…

Neste desprendimento de caminhar
Num qualquer sentido errado
Certo que amo, sem perceber porquê
Nem as nuvens do céu, ou as algas do mar,
Encobrem de mim, o azul do teu olhar…

Flui para fora dos versos, das estrofes
Rimei nos teus lábios, os beijos…

Amei-te, amo-te, nesta poesia que oculto
Fui, porque sou… onde não nos escrevo…

Alberto Cuddel
31/07/2018
20:15

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: