Poema do dia 27/06/2018

Poema do dia 27/06/2018

Na vã consciência do desassossego que me povoa, nada além de uma igreja vazia de Deus, apenas silêncio e uma consciência formatada na infância…

Nas quedas e recaídas,
Que me confundem,
Que como as sombras,
São, sem terem sido,
Que pela luz existem,

Se confundem e distorcem,
Que não olhando ao espelho,
Apenas vivem na ilusão,
Da realidade projetada!

Necessária ambiguidade,
De fechar o olhos e ver,
Tapar os ouvidos e ouvir,
Uma alternativa realidade,
Que de nós projetamos,
De nós próprios…

Finjo uma inquietude que me inquieta, entre as escadas que sobem direitas, pelas clareiras de cada dia, esvoaçam borboletas em estômagos vazios, um frio que te percorre o ventre, desejos de um amor suado, entre lençóis de linho, e um peso do passado…

Alberto Cuddel
27/06/2018
11:23

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: