Poema do dia 18/04/2018

Poema do dia 18/04/2018

Nascer do sol no Alentejo

Orgasmo cósmico o nascimento do sol
Esporrando luz sob a seara húmida
De um alto Alentejo que desperta…

Gemem as aves que despertam
Cravam-se as unhas em terra fértil
Vales que se apartam vestindo-se de luz
Mãos que o trabalham arduamente
Bocas que se saciam da fome
Ilumina-se o rosto rubro…
Terra fecunda que o acolhe…

No ardor quente que permanece
Memória crescente do despertar
Abate-se sobre o cansaço o crepúsculo
Adormecendo a cada dia…

Alberto Cuddel
18/04/2018
21:30

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: