Só agora nesta hora escrevo um poema de amor

Só agora nesta hora escrevo um poema de amor

Nesta rua onde passas
Onde o amor me trespassa
Como perfume que me enlaça
Adentra as narinas inflamadas
Inundando-me os pulmões…
Amo-te, a plenos pulmões
Não num coração cansado
Trespassado por setas
Por cupidos de asas
Mas nos pulmões
Por onde se passa o ar
Por onde entre o cheiro
O perfume a peixe das tuas mãos…
Vendes, manejas a sardinha,
A faneca e a raia sem espinha
E amo…
Como anunciando do centro
Da praça onde sentas
Esse teu corpo cansado
“- Peixe fresquinho”
“- À mulher, doce varina,
Que eu amo assim fresquinha…”
“- Ó gaiato metido a poeta
Desta varina atleta
Não a levas à faina…”

E nesta rua onde passas,
Onde o amor me trespassa
Como perfume que me enlaça
Adentra as narinas inflamadas
Inundando-me os pulmões…
Grito bem alto…
– Amo-te varina…
Faz de mim a tua sina…

Alberto Cuddel
14/01/2018
06:10

2 thoughts on “Só agora nesta hora escrevo um poema de amor

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: