Incorporação

Incorporação

Incorpora os adjectivos, quentes, frios
Os bárbaros e opulentos, violando letras…
Rasgados céus nocturnos, demónios caídos
De bruços, perdendo medos e vergonhas
A lua molesta na parca luz, paredes frias!

Na reconciliação da consciência
Prisão perpétua onde me devoto
Fuga ensaiada ao suicídio dos versos
Mato-me a cada não, a cada ausência sem perdão…

Incorporo-me em mim mesmo
Baixo cada penas, cada escrita
Cada poeta, cada vontade…
Sexo, amor, sangue e lagrimas…
Elas que escorrem do céu
Evaporando-se a cada inferno
A cada dor provocada no sofrimento
Longo, casuístico, falso, doloroso…
Choro, com a cara nas mãos
Entre os joelhos, de lábios apertados
A cada não declamado…

Alberto Cuddel
29/12/2017
02:05
#Solutampoetica

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: