Serranias da vida

Serranias da vida

Nos altos e baixos que nos atrasam
Pairam nuvens baixas, amedrontam
As estepes daninhas outras arrasam
Fogo queimou as outras que contam

Por entre montes, vales, escarpas caídas
Erguem-se dormentes, almas cansadas
Os dias, as noites e outras assim saídas
Por caminhos, carreiros, vielas estradas

Planalto distante em palavras contidas
Digo e não faço, mas faço e não digo
A morte distante em vitórias sofridas

Águas que escorrem das pedras soltas
Correm ainda livres pela colina contigo
As armas depostas e os beijos que sepultas!

Alberto Cuddel
13/03/2017

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: