Rasguem-se

Rasguem-se

Rasguem-se nos cactos as vestes
Deambulando pelo deserto árido
Novas te cobriram, no sonho do oásis…

Rasguem-se as certezas e as crenças
Os deuses menores não desmentem
Confirmando o mal na voz dos homens…

Rasguem-se as vendas e as traves dos olhos
Olhai livremente a Oeste, dai advém o vento
Toda a desgraça que nos cobre o conhecimento!…

Rasguem-se os livros do desejo
As promessas de fidelidade e beijo
Leita-te comigo, em mim
Que se rasguem as noites…

Alberto Cuddel
09/12/2017
02:44
#Solutampoetica

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: