Poema do dia 29/01/2018

Poema do dia 29/01/2018

Aqui estou versejando…

Um poeta é sempre uma versão de mim em ti
Um sonho de alma que fingi, representando-me
Deixando saudade por onde passa…

Do longe que escreve, ali ao lado arrumado
Prateleiras marítimas de um mar calmo
Barcos atracados no cais moribundos…

Houve um tempo em que olhei o céu
Em busca de anjos e balões
Quem sabe sonhos, nunca sonhados em nuvens cinzentas…

Não sei com quem vou,
Tão pouco se chegarei se quer a ir,
Sei que irei, mesmo que não gostem de mim…

Jamais ficarei aqui
Onde não sei quem sou
Onde nem os espelhos têm coragem de me reflectir…

Alberto Cuddel
29/01/2018
10:00

2 thoughts on “Poema do dia 29/01/2018

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: