Poema do Dia 29/11/2017

Poema do Dia 29/11/2017

Na janela fechada do meu quarto
Cantam pássaros livres do lado de fora
Entre um beiral e um pinheiro que cresce
Do lado de dentro, silencio, lençóis chorosos!

O próprio sonho abandona-me, castiga-me
Entorpece-me a carne e a alma, nada sinto
Não me vejo na realidade do desejo, peco
Ainda que sonhe, nada há na gloria de ser!

Quanto mais conheço a realidade menos sei
Na verdade, nada é o que parece, nem a poesia
Por outro lado, a realidade da alma é mero sonho
A vida só subjectivamente pode ser vivida por inteiro,
Objectivamente apenas a alma vive, livre…

Os pássaros que cantam, não me alegram
Piam, cantam, procuram comida e companhia,
Os pássaros vivem a plenitude da vida
Os pássaros não sonham os desejos de amanhã…

Alberto Cuddel
29/11/2017
17:30

One thought on “Poema do Dia 29/11/2017

Add yours

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: