A sina

A sina

Cumpre-se em mim a sina
Espalhada pelo triste vento
Que assim em desalento
Na desconfiança tudo mina!

Artes de um sexto sentido
Visão para além dos montes
Parcos são teus horizontes
No tudo que tens escondido!

Dor exalada do gelado peito
Abrindo a ferros a própria cova
Calo em mim o que tens feito!

As mãos já não me falam amor
Nem por gestos ou coisa nova
Cravando em mim apenas dor!

Alberto Cuddel
15/08/2017
11:06

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Powered by WordPress.com.

EM CIMA ↑

%d bloggers like this: